Ultramar

ASPECTOS DA POLÍTICA ULTRAMARINA PORTUGUESA

Da Lei Orgânica do Ultramar

«A construção pacífica da sociedade multirracial portuguesa é a única via que leva a resultados construtivos». Dir-se-ia uma frase escarrapachada num qualquer programa político de um qualquer partido vagamente “de esquerda”, asseverando os benefícios da chamada multiculturalidade, sub-categoria da também propalada diversidade.

Dir-se-ia, mas não se dirá. Na realidade, a frase é de Marcello Caetano e consta do livro no qual se dá conta do quarto ano de actividade do (seu) Governo; portanto, em 1972. Vem ela a propósito da Lei Orgânica do Ultramar que havia sido recentemente publicada e das intenções com que tal se fez. (...)
Ler

publicado por Henrique aos
Comentários

Faltou-me coragem para destruir Portugal

Transcreve-se de seguida a terceira entrevista publicada no volume intitulado «O 25 de Abril e o Ultramar», e, segundo lá nos informam, até àquela data inédita; e raras vezes se há-de ter publicado depois disso, se o foi de todo.

Nela responde o antigo presidente do Conselho a acusações, desfaz equívocos e fornece novos pormenores sobre a condução da política ultramarina do Governo português sob a sua responsabilidade.

Salta-se, por ora, a segunda entrevista por não ter que ver directamente com o Ultramar nem com a política ultramarina, mas sòmente com o golpe de 25 de Abril. Guardá-la-emos para altura mais apropriada. (...)
Ler

publicado por Henrique aos
Comentários

Mandato indeclinável

Durante o seu exílio no Brasil, o professor Marcello Caetano concedeu em 1976 duas entrevistas ao semanário do Rio de Janeiro «O Mundo Português». A Editorial Verbo publicou-as num volume intitulado «O 25 de Abril e o Ultramar - três entrevistas e alguns documentos”» juntamente com uma terceira entrevista inédita e meia dúzia de documentos: correspondência do presidente do Conselho com o general Spínola e cartas enviadas sob direito de resposta ao semanário a propósito de afirmações de Veiga Simão.

Na pequena nota introdutória desse volume dizem-nos que Marcello Caetano fala «acerca da sua acção na questão ultramarina e nos antecedentes da revolução de 25 de Abril, bem como o seu comportamento nesse dia.»

(...)
Ler

publicado por Henrique aos
Comentários